Blog

A Cachaça no Guinness

Por Cachaciê   •  10 maio de 2018   •  Compartilhar

 

Nós do Cachaciê apoiamos essa iniciativa. Vamos brindar e buscar esse destaque para a cachaça.

Guinness é uma das marcas mais conhecidas mundialmente e só de ser mencionada já desperta muita curiosidade. Se algo está no Guiness – no livro de registros de recordes variados – de imediato ganha relevância. E é nesta vitrine que a Confala – Confraria de Cachaça de Belo Horizonte – quer colocar a Cachaça.

A proposta é reunir um grande número de apreciadores de cachaça para realizar o maior brinde com cachaça do mundo. Este brinde já tem dia marcado. Será em 19 de maio, durante o 4º. Encontro Aberto das Confala, na Feira dos Produtores, em Belo Horizonte/MG.

Para a candidatura do recorde do brinde com cachaça é necessário uma série de cuidados e registros. Um conjunto de documentações precisa ser reunido e encaminhado para que uma comissão julgadora aprove ou não a entrada da Cachaça no Guinness.

Vale esclarecer que custa bem caro fazer a candidatura de um recorde. O valor a ser investido varia de U$3mil a U$12 mil dólares. A cifra mais baixa é para envio de documentação para a comissão julgadora no exterior e a mais alta para a vinda ao Brasil de um fiscal oficial do Guinness. E em ambos os casos não há garantia de aprovação!

O que é o Guinness?

Guinness World Records (antigo Guinness Book of Records, lançado em português como Livro Guinness dos Recordes) é uma edição publicada anualmente, que contém uma coleção de recordes e superlativos reconhecidos internacionalmente, tanto em termos de performances humanas, como de extremos da natureza.

O livro já chegou a 100 milhões de cópias vendidas, desde a sua primeira edição em 1955, sendo o décimo livro mais vendido da história (2009) é o quinquagésimo-quinto.

Como o Guinness surgiu?

Em 10 de Novembro de 1951 Sir Hugh Beaver, diretor administrativo da cervejaria Guinness, participou numa caçada e acabou envolvendo-se numa discussão: qual seria a ave de caça mais veloz da Europa – a tarambola ou o tetraz. Foi assim que se deu conta que um livro que fornecesse respostas para este tipo de perguntas talvez fizesse sucesso.

A ideia de Sir Hugh tornou-se realidade quando Norris McWhirter e Ross McWhirter, que administravam uma agência de apuração de fatos em Londres, foram contratados para fazer uma coletânea que viria a tornar-se o Guinness Book of Records.

A primeira edição foi publicada em 27 de agosto de 1955 e, no Natal daquele ano, já havia chegado ao topo da lista dos mais vendidos do Reino Unido.

O Guinness, além do livro, tem programas de televisão, que já foram vistos em mais de 190 territórios desde que começaram em 1998.

Saiba mais sobre o Guinness

www.guinnessworldrecords.com