Notícias

ABCA chega para fortalecer a cachaça de alambique nacionalmente

Por Cachaciê   •  31 janeiro de 2017   •  Compartilhar

Na tarde da última sexta-feira foi realizada a primeira assembleia geral da Academia Brasileira de Cachaça de Alambique (ABCA).

O Automóvel Clube, o mais tradicional clube social de Minas Gerais, sinônimo de status e elegância, abriu as portas, mais uma vez, para a cachaça e o que se viu foi muita vontade de fazer, e a consciência de que é preciso realizar mudanças para fortalecer o setor.

Os trabalhos foram abertos com a apresentação do conselho administrativo da ABCA, das normas regimentais da entidade e de uma agenda objetiva de trabalho para 2017. Veja abaixo em detalhes:

 

Conselho administrativo

José Lúcio Mendes Ferreira – Presidente

José Otávio de Carvalho Lopes – Vice-presidente Administrativo

Thales de Paiva Martins – Vice-presidente Financeiro

Rosana Ross Romano Lopes – Vice-presidente Cultural

Pablo Silva Melgaço – Vogal

Oswaldo Bernardino Júnior – Vogal

Lucas Rocha Carneiro – Secretário Executivo

Renato Saraiva Coutinho – Diretor AL

André Luís Parente – Diretor AM

Pedro Altino Farias – Diretor CE

Carlos Hermógenes de Holanda Lira – Diretor DF

Adwalter Menegatti – Diretor ES

Luiz Álvares de Campos Filho – Diretor GO

Dirley dos Santos Fernandes – Diretor RJ

Paulo Leite – Diretor SP

Alfredo Roberto Bender – Diretor RS

 

Conselho fiscal

Titulares: Claudio Curi, Carlos de Paula, Lívia Versiani

Suplentes: Faride Chamone, Geraldo Filgueiras, João Carlos Ricaldone

 

O que é a ABCA

A Academia Brasileira da Cachaça de Alambique (ABCA) é constituída por pessoas dedicadas ao pleno desenvolvimento das cadeias produtiva, de valor e de suprimentos, da Cachaça de Alambique e dos setores de bebidas e gastronomia.

Tem por objetivo propor e coordenar projetos e ações estratégicas, preferencialmente em rede e com instituições afins, além de fomentar e apoiar iniciativas públicas e privadas, quando integradas aos propósitos finalísticos da ABCA.

A ABCA tem por finalidade gerar resultados positivos para o negócio da Cachaça de Alambique, reduzir entraves, induzir políticas públicas e privadas, abrir mercados e melhorar a qualidade e visibilidade de nossa bebida nacional.

 

Definições

A Academia Brasileira da Cachaça de Alambique, fundada em 18 de novembro de 2016, rege-se pelas disposições legais contidas na Lei 10.406 de 10/01/2002 (Código Civil Brasileiro) e por seus valores, princípios, diretrizes da autogestão (Missão, Visão e Estatuto) e por um Regimento Interno, sendo uma sociedade civil, de cunho sociocultural e técnico-científica, de direito privado e sem fins lucrativos .

A ABCA terá personalidade jurídica e endereço comercial próprios. O Espaço Gourmet do Automóvel Clube de Minas Gerais, em Belo Horizonte, será a sede social da ABCA. As reuniões da ABCA serão bimestrais e sempre na primeira quinta-feira do mês, com pauta definida.

 

Missão

Assegurar a participação dos acadêmicos, colaboradores e instituições parceiras, nas proposições e decisões políticas inerentes ao desenvolvimento e sustentabilidade do negócio da Cachaça de Alambique.

 

Visão

Ser reconhecida como uma das principais instituições representativas e referenciais do negócio da Cachaça de Alambique, em 2019.

 

Valores

  • Gestão de excelência com ética e simplicidade;
  • Relacionamento entre membros e colaboradores da ABCA deve ser transparente e baseado no respeito e na responsabilidade;
  • Articulação institucional sedimentada na confiança entre as partes;
  • Produtos legalizados;
  • Cachaças de Alambique com padrão de qualidade elevado;
  • Responsabilidade social;
  • Segurança e satisfação dos consumidores de Cachaças de Alambique;
  • Compromisso com a Inovação Tecnológica.

 

Categorias de acadêmicos

São Acadêmicos da ABCA pessoas idôneas e admitidas no respectivo quadro social por aprovação do Conselho Administrativo ou pela Assembleia Geral. A ABCA será formada por seis categorias de Acadêmicos.

Preceitos

São preceitos a serem efetivados pelas Instituições Representativas da Cachaça:

  • Atuar em sinergia e sintropia;
  • Evitar conflitos de interesses;
  • Conhecer e respeitar respectivos objetivos e finalidades;
  • Ter agendas propositivas e integradas.

 

Presença e união

Os presentes puderam se apresentar e o que se observou foi a presença de pessoas de diversas partes do Brasil.

Até o momento a ABCA tem membros nos seguintes Estados da Federação: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Pernambuco.

A ideia é que em cada Estado tenha um representante, para facilitar o diálogo, a interação e a união da cadeira produtiva da região. Alguns já foram nomeados e o objetivo é que os demais sejam definidos, o quanto antes, para potencializar as ações e o envolvimento em todos os cantos do Brasil.

Vale ressaltar que estiveram presentes nesta etapa inicial dos trabalhos da ABCA representantes das principais instituições setoriais nacionais e regionais.

 

Homenagem

Uma singela, mas significativa, homenagem foi feita a Euler Costa Chaves, produtor da Cachaça Prazer de Minas, falecido mês passado.

José Lúcio Mendes Ferreira, Rosana Ross Romano Lopes, Cristiano Lamego e Silvia Maria Borim Coda Dias deram um depoimentos sobre o seu legado. Pessoa de muito valor, comprometido em produzir cachaça de excelência dentro das normas e regras legais, disponível para compartilhava seus conhecimentos com outros produtores.

Um brinde com a cachaça Prazer de Minas, foi erguido em honra deste Ilustre da Cachaça.

 

Palavras viram ações na ABCA

Desde da criação da ABCA no final do ano passado, dois canais de comunicação, uma página no Facebook e um grupo de Whats App, foram ativados com o intuito de facilitar a coleta de ideias, opiniões, sugestões e demandas dos elos da cadeia produtiva da cachaça. Além, é claro, de promover o contato entre as pessoas, fomentar a união do setor e gerar negócios e parcerias.

Desde então os temas relacionados à cachaça estão fluindo com abundância e serviram de fonte para uma lista que traduz muitos dos principais anseios do setor.

Perfil dos acadêmicos

No início de janeiro uma pesquisa para mapear o perfil dos Acadêmicos foi realizada.  Todas as pessoas evolvidas nos canais de comunicação da ABCA puderam se cadastrar. Procedimento que é de extrema importância para que um trabalho sério e responsável seja realizado.

Para quem não se cadastrou, mas tem interesse em participar da ABCA segue o contato (acad.bras.cachaca@gmail.com).

 

Projetos prioritários:

A partir do levantamento das principais demandas foi feita uma proposição para formação de grupos de trabalho por temas e afinidades.

Os presentes puderam se voluntariar para contribuir de acordo com sua expertise, em um dos oito projetos prioritários.

 

Conheça os temas dos oito projetos prioritários

Segmento produtos

  • Promoção das cachaças de qualidade;
  • Legislação e legalização da produção e comercialização;
  • Combate a produtos clandestinos;
  • Impostos e carga tributária;

Segmento pesquisa e inovação

  • DNA da Cachaça;
  • Apresentação de trabalhos de pesquisa e inovação na Expocachaça;
  • Rede de pesquisa da cachaça de alambique.

Evento social

  • Festividade anual da ABCAA;

Ressalta-se que os Acadêmicos interessados em participar de algum grupo de trabalho deve procurar informações com a ABCA (acad.bras.cachaca@gmail.com).

Em resumo, quem esteve presente pôde conhecer e colaborar na construção desta inciativa de união e força da cadeia produtiva da cachaça. Quem não compareceu poderá vir na próxima, daqui há dois meses, e será sempre muito bem-vindo.