Notícias

Fazenda Dona Carolina, um hotel que faz você viajar no tempo e voltar ao Brasil colonial

Por Cachaciê   •  29 agosto de 2017   •  Compartilhar

Se você busca um refúgio de paz, longe do ambiente urbana, você precisa passar pelo menos um final de semana na Fazenda Dona Carolina, no Estado de São Paulo. Localizado em Itatiba, há 110 km da cidade de São Paulo, o hotel fazenda oferece luxo e conforto, ao mesmo tempo que conserva a rusticidade do campo da época do Brasil Colônia.

Aliás, o que hoje é um hotel belíssimo e com acomodações modernas, já foi a Fazenda Jaboticabal, construída em 1872 por Dona Carolina e seu marido José Alves Cardoso. Na época, a fazenda era uma importante produtora de café, traço que conserva até hoje, juntamente com sua refinada produção de cachaça.

Ainda sobre a história da Fazenda Dona Carolina, este local foi um dos pioneiros do movimento abolicionista no país.

Antes mesmo da lei assinada pela Princesa Isabel, em 1888, os antigos donos do lugar libertaram seus escravos e concederam a elas um terreno de 100 alqueires, mesmo tamanho da propriedade naquela época, para que pudessem trabalhar e construir uma vida sem os grilhões das senzalas.

Cachaça e café

Embora com produção menor que na época da colônia, a Fazenda Dona Carolina ainda produz os melhores grãos da região. O diferencial, conforme os proprietários, é o processo de colheira apenas uma vez por ano, além do processo artesanal de secagem (de 15 a 30 dias no terreiro), torrefação e moagem, que garantem a qualidade do produto.

A cachaça feita na fazenda também é bastante famosa. Feita lentamente em alambiques de cobre, a bebida é armazenada em dornas especiais de jequitibá rosa, que impede a transferência de cor, aroma e paladar; e envelhece em tonéis de carvalho importados da Escócia.

Ambos os produtos podem ser degustados no hotel ou levados para casa, pelos visitantes. Além disso, é possível visitar a produção de café, de cachaça e do cultivo de cana de açúcar.

Saiba mais sobre a fazenda aqui.

Fonte: Segredos do mundo