Notícias

Gastronomia ajuda a reinventar o turismo em Curitiba

Por Cachaciê   •  6 setembro de 2017   •  Compartilhar

Conhecida (e reconhecida) por sua beleza verde, com um cenário repleto de bosques, praças e parques, Curitiba tem se reinventado ao longo dos últimos anos. Na tentativa de incrementar o turismo, que atrai cerca de 3,72 milhões de visitantes por ano, a cidade tem apostado no setor gastronômico, com especial destaque para o que se pode chamar de “turismo alcoólico”, marcado por uma espécie de “aliança” entre história, gastronomia e natureza. Aliás, saber onde ficar na cidade é fácil, bastando acessar a Expedia Brasil.

Agora, o desafio que se impõe é o de aumentar o ticket médio e também o tempo de permanência dos turistas na cidade, segundo afirma Tatiana Turra, presidente do Instituto Municipal de Turismo. O setor gastronômico, então, revela-se como um dos principais aliados do município, com especial destaque ao turismo alcoólico.

Um desses passeios inclui nossa bebida favorita: a cachaça. A rota é no litoral paranaense, mais precisamente em Morretes. Andar pelas estreitas ruas da cidade é encontrar a história, a cultura as belezas naturais e a tradição, tudo reunido em um mesmo local e aliado a uma riqueza gastronômica encantadora, cujo chamariz principal é o famoso barreado e o passeio de trem promovido pela Serra Verde Express.

Nos últimos anos, contudo, uma velha tradição morretense começou a ser resgatada: a produção de cachaça, que começou ainda no século XVIII. Hoje, são mais de 15 alambiques em funcionamento, o que coloca o município na liderança da produção da bebida no Paraná, com uma produção acima de 400 mil litros por mês.

A principal produtora da cidade é a Porto Morretes, que exporta suas cachaças para países como Estados Unidos, Canadá e Suíça e que em 2004 reativou um alambique do século XVIII, agregando valor ao produto e investindo na produção de cachaça orgânica. Mozart, ex-jogador que passou pelo Paraná, Curitiba, Flamengo, Palmeiras e Seleção, é um dos sócios do negócio, que já foi premiado internacionalmente.

Fonte: Bem Paraná