Notícias

Saiba como são feitas as classificações dos tipos de cachaça

Por Cachaciê   •  30 junho de 2016   •  Compartilhar

 

Cana, branquinha, mé, pinga… A cachaça já ganhou diversos tipos de apelidos ao longo de seus anos de existência. Produto tipicamente nacional, ela também é usada como ingrediente para o preparo de diversas receitas. É degustada e apreciada por todos os cantos do país.

Mas, no exterior, a lista dos amantes da cachaça também é crescente. Encontrada em diversas marcas e sabores, a cachaça também é separada por categoria. Você sabe quais são os tipos de cachaça existentes? E sabe diferenciar uma cachaça? Te contamos tudo nesse post!

Cachaça prata (Branca)

É a cachaça que não passa por armazenamento em madeira. Depois da destilação ela é descansada em aço inox, padronizada e engarrafada. Esse tipo da bebida apresenta paladar e aroma muito próximos da cana, como a Cachaça Chico Valim Prata. Algumas são retidas em madeiras que não soltam coloração e, por isso, continuam com a cor branca, conhecida também como “cachaça prata”.

Cachaça ouro (Amarela)

A cachaça ouro é armazenada ou envelhecida em madeira, apresentando assim, uma alteração substancial em sua coloração. Por isso, também é conhecida como cachaça amarela. Um bom exemplo desse tipo é a Cachaça Vale Verde Ouro.

Cachaça envelhecida

A cachaça envelhecida contém no mínimo 50% de cachaça em recipiente de madeira apropriado. Ela fica em período de “descanso” não inferior a 1 ano.

Cachaça armazenada

A cachaça pode ficar armazenada por períodos curtos, de 2 a 5 meses, em toneis grandes e é bem menos restrita que a cachaça envelhecida. Sua coloração é diferente, pois mesmo que fique estocada por muito tempo, a cachaça armazenada ficará com uma cor mais fraca.

Cachaça industrial

Seu processo é feito em larga escala, sendo a cana-de-açúcar cultivada em grandes áreas e colhida mecanicamente. Muitas vezes ela passa por colunas de destilação e toneis de aço inox e há a adição de produtos químicos na fermentação, não separando a parte nobre do destilado.

Na cachaça industrial predomina a cachaça branca, mas existem outras versões, com sabores adocicados e de madeiras.

Cachaça industrial com redestilação

Também é trabalhada com grandes volumes e torres de aço inox, mas possui uma etapa do processo de redestilação, que entra em contato com o cobre ou outro metal. Seu processo é defendido como sendo capaz de oferecer melhor qualidade gustativa. De modo geral, é comercializada como cachaça branca e voltada para o preparo de drinks.

Cachaça artesanal

O processo de produção da cachaça artesanal é bem detalhado, considerado por apreciadores como uma verdadeira obra de arte. Apesar de ser feita do caldo de cana sem a adição de produtos químicos, cada cachaça agrega características de seu produtor, o lambiqueiro. Por isso, todos os detalhes fazem diferença na produção, como escolha da época da colheita, tempo de moagem, adição de ingredientes, tempo de fermentação, destilação, toneis para o envelhecimento e o engarrafamento.

O envelhecimento é o processo que aprimora a qualidade de sabor e aroma da bebida e é a parte final da elaboração. Após o período determinado para o envelhecimento, ela estará pronta para ser engarrafada.

Cachaça artesanal informal

Esse tipo de cachaça é feita por pequenos produtores, com condições produtivas precárias, que comercializam a bebida a granel em pequenos comércios locais. Porém, é a principal fonte para os “redestiladores artesanais”, pois eles possuem canaviais reduzidos. Para aumentar o rendimento, alguns produtores não fazem a separação no processo de destilação, o que pode resultar em uma bebida perigosa para quem a consome.

Cachaça premium

A cachaça premium consegue ressaltar as melhores características do destilado, como suas qualidades de cor, sabor e aroma. Além disso, possui infinitas possibilidades de combinações gourmet, permitindo que seja combinada com madeira, frutas ou com a culinária. A destilação correta é feita em um alambique de cobre, que garante parte de suas qualidades, e é envelhecida por um período no mínimo de um 1 ano.

A cachaça premium oferece muita riqueza sensorial por ser feito de modo artesanal. Vale ressaltar que não é somente a bebida envelhecida que pode ser considerada como destilado Premium. As cachaças brancas também podem levar o título, já que muitas delas podem ser descansadas por meses em toneis inertes.

Dentro desse tipo, também temos a cachaça Extra Premium. Ela contém 100% de cachaça de cana envelhecida em madeira apropriada, com envelhecimento superior a 3 anos. Com isso, seu sabor é mais intenso e muito apreciado.

Cachaça reserva especial

Quando o processo de envelhecimento passa dos três anos, a cachaça ingressa na categoria de “reserva especial”. Com isso, ela adquire características sensoriais diferenciadas do padrão. Porém, essas diferenças precisam ser comprovadas através de laudos técnicos emitidos por laboratórios públicos ou privados reconhecidos pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Com o envelhecimento, a cachaça ganha a cor da madeira, passando pelo dourado. É comum que a graduação e a acidez natural também diminuam, tornando a bebida mais suave.

Cachaça estandarizada

Quando o produtor não consegue que a bebida seja produzida em volume suficiente para suprir as demandas do mercado, ele contrata produtores para corrigir o teor alcoólico e de doçura para que a bebida tenha o mesmo padrão de qualidade. Depois disso, a bebida é acondicionada em toneis de madeira, engarrafada e vendida sob um mesmo rótulo.

Recomendamos que sempre que for comprar uma cachaça, observe se o rótulo diz “estandarizada e engarrafada por…”.

Cachaça blend

Os blends de uísque consistem da mistura de diferentes uísques envelhecidos em carvalho com o intuito de obter uma bebida com características únicas e sensoriais. Isso também é feito com a cachaça. O grande diferencial é que no Brasil pode ser feito um número maior de blends de madeiras, não apenas de carvalho, o que deixa a bebida muito mais rica e diversa.

Vimos que vários fatores podem determinar o tipo de cachaça, desde aroma, tipo de cana de açúcar, tempo, até as madeiras de envelhecimento e armazenamento. É claro que o gosto, apesar de ser decisivo, é algo bem particular. Vale destacar também que cada estado tem suas particularidades, o que pode resultar em uma diferenciação no de cada tipo.

Fonte: Bebida Express